quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Não Desisti de Sonhar

A Mbala Neto

As lágrimas e sentimentos em cada novembro solitário do teu abraço, as horas do desejo de ter um ombro com mais kacimbos e conselhos prontos para cada ocasião.
Mas quis a vida ser assim arrebatadora e fez questão de com a voz sob influência casar-te com a ausência física permanente e garantida.

Hoje num tempo tão distante mas ao mesmo instante como o andar da paixão, não existe um real movimento das lembranças e sentimentos, como dizia o postal na montra da tabacaria Tem-Tudo no Kinaxixi em 1987 "Quem ama nunca esquece, quem esqueceu nunca amou". Assisto mais uma vez o filme baseado na autobiografia de Nelson Mandela "Longo Caminho Para Liberdade", e não posso deixar de sentir arrepios, soltar a chuva no canto do meu olho, pensar em como a luta para a liberdade não foi só mel e morangos, houve a dor, a noite em nossas vidas e o Sol da liberdade pelo qual sonhaste e pelo qual tiveste disposto a sacrificar a tua juventude.

E chegou o momento em que quiseste mais do que a liberdade, exigiste para o teu povo a justiça e a partilha, e mais uma vez sem olhar para as lágrimas, o vestido pintado de preto, a  rosa vermelha debutada num precipício sem olhos para os feitos ou ideais que defendeste e para os quais estiveste disposto e que tenho a certeza que preferias aqui estar, mas por eles e por tudo o que nunca saberemos aqui não estás.

O bom é que não desisti de sonhar e lembrar o bom que nos deixaste, e como disseste a tua pele não foi feita para fazer cabedal. E como podes imaginar eu acredito em ti, é possível termos uma humanidade com mais amor, justiça e conhecimento, sem nunca mais voltarmos a guerras e deixar as intrigas de escritórios, as diferenças das bandeiras, as cores de pele opostas, os pensamentos e ideais  divergentes, quero continuar a sonhar que poderão continuar a partilhar o mesmo ar e viver no mesmo rio.

Por uma Humanidade com mais conhecimento e justiça não desisti de sonhar meu herói novembrinho.  

1 comentário:

Jéssica Branco disse...

E eu acredito no teu sonho caro amigo.abraço